Enviado por: Daniella Leal Meu gato dorme no pé da cama toda noite. Às vezes ele vem depois de eu já estar deitada, mas ele sempre vem. Mesmo quando ele não dorme em cima de mim, ele põe uma das patinhas em cima do dedão do meu pé. Não sei se é pra ter certeza…

QAYEN, 1997

Enviado por: Rodrigo Lopes Me sinto tão estranho aqui a ponto de não saber mais se foi vitória ou derrocada O sismo que passou por mi casa Tremor de terra a abalar O amargor de fracassar O doce gosto da vitória porem, Surgiu logo lá Fracasso não me emergiu como dor,  Nem tão pouco causou…

Enviado por: Renan Gonçalves De início era passageiro, ledo engano. Passageiro seria minha concepção de que aquele sentimento fosse passageiro. Se você pode sonhar, você pode fazer. Se você pode fazer, você faz, ou melhor, faça. Ao som do Jazz 66, pude perceber que as coisas estão se encaixando. Putz, que viagem! Mas foi uma…

Cores de um dia nublado

Enviado por: Fernanda Iglesias Agitações no corpo e intensa respiração. Quase sempre um sotaque em espanhol saindo da caixa de som e, vozes, de Colômbia à Sevilla, ecoando pela casa. Esse, tradicionalmente, é o prenúncio de que a escrita há de se escrever nesse meu corpo. Assim, despretensiosa e febril, vai chegando em fortes doses….

Semente

Enviado por: Caroline Brizon   E se me vem à memória Uma vaga história perdida Ignoro a mente Ignoro o coração E sigo em frente Carregando no peito a semente Do que um dia foi Uma grande paixão.

Enviado por: Antônio Oi, Me chamo Antônio, mas poderia ser Cláudio, Rubens… Mentira se fosse Rubens eu ia ficar meio puto. Trivialidades a parte, gostaria de iniciar falando um pouco sobre a minha personalidade. Sou preguiçoso crônico, logo redigir um texto pra mim é tão cansativo quanto correr 1,2 quilômetros. Aproveito o adendo para fazer…